Reading Time: 1 minuto

Todos os ativos digitais e suas tecnologias são criados com a intenção de trazer melhorias para a vida de algum determinado público. Porém, para que eles sigam conquistando novos fãs, é necessário que se aperfeiçoem continuamente.

E essa é uma das preocupações da BlockchainOS, empresa que desenvolveu a BOScoin. A companhia acabou criando um núcleo especial que ficará encarregado do aperfeiçoamento da moeda e da plataforma: o ARIST.

A sigla significa Advanced Research Institute for Social Trust (em português:  Instituto de Pesquisa Avançada para a Confiança Social). A instituição fica responsável pela realização de pesquisas focadas em aprimorar a confiabilidade, escalabilidade e privacidade da plataforma, visando acelerar sua adoção e comercialização no BOScoin e em outras tecnologias.

Localizado em Daejeon, o ARIST também coopera ativamente com o KAIST (Instituto Avançado de Ciência e Tecnologia da Coreia).

O ARIST conta com profissionais como engenheiros de software, físicos, matemáticos e outros especialistas para avançar ainda mais nas pesquisas relacionadas a protocolo de consenso, contratos de confiança, tecnologia de financiamento público e privacidade.

O instituto é comandado por Jonghwan Lee. Ele obteve um diploma de doutorado em matemática aplicada pelo KAIST, concluiu o treinamento de pós-doutorado da Universidade Nacional de Seul e KAIST e trabalhou como professor pesquisador na Universidade Nacional de Chungnam.

Para Lee, o instituto vai verificar a tecnologia, segurança e privacidade do sistema, além da confiabilidade e escalabilidade do ponto de vista de um engenheiro, para que o projeto blockchain da BOScoin possa ser bem sucedido.

Se interessou pela BOScoin?

Ela está disponível na plataforma da CoinBene, que reúne mais de 150 ativos digitais. Cadastre-se grátis e vamos aos negócios!

SHARE
RELATED POSTS
Credits CS
Mais de US$ 1 milhão é negociado em Credits nas últimas 24h
Criptomoedas dos Bancos Centrais em evidência, diz estudo
Criptomoedas dos Bancos Centrais em evidência, diz estudo
SEC pede mais informações antes de decidir sobre fundos de BTC

Comments are closed.