CRIPTOMOEDAS

Gêmeos Winklevoss criam moeda para substituir o Tether (USDT)

Tempo de leitura: 1 minuto

Conhecidos no mundo criptográfico como os primeiros bilionários do Bitcoin, os irmãos Cameron e Tyler Winklevoss anunciaram a criação de uma moeda indexada em dólar para substituir o Tether (USDT), a Gemini Dollar (GUSD).

A ideia é que o ativo torne-se uma “representação confiável e regulada” da moeda norte-americana, que pode ser enviada via blockchain e ser negociada em exchanges do mundo inteiro.

De acordo com um anúncio, o dólar Gemini (GUSD) combina credibilidade e a estabilidade de preços do dólar americano com a tecnologia blockchain e a supervisão dos reguladores dos EUA, ou seja, do Departamento de Serviços Financeiros do Estado de Nova York.

Como será feito

Conforme descrito no white paper, o GUSD é estruturado no blockchain do Ethereum, com o protocolo ERC-20. Os usuários poderão adquirir o ativo depositando dólares em suas conta e convertendo-os em tokens, que podem então ser enviados por qualquer endereço do Ethereum.

Conheça a CoinBene

O GUSD foi inventado com o propósito de tirar o Tether (USDT) da liderança no ranking de stablecoins, ou seja, ativos atrelados ao dólar e supostamente mais estáveis que os demais.

Atualmente apenas o Bitcoin tem um volume de negociação superior ao USDT no mercado de ativos financeiros digitais, pois o token serve como um proxy do USD na grande maioria das bolsas que não podem oferecer negociações diretamente contra o dólar.

De acordo com os gêmeos Winklevoss, o GUSD conta com uma auditoria rigorosa de uma empresa de segurança independente, o que o torna imediatamente diferente dos demais ativos existentes no mercado.

Além disso, a Gemini recrutou uma firma de contabilidade pública independente para publicar relatórios mensais, verificando se os tokens são totalmente garantidos por USD e também sujeitou os contratos inteligentes GUSD a uma auditoria rigorosa por uma empresa de segurança independente.

Comentários

COMPARTILHAR
Notícias relacionadas
Coreia do Sul de olho em bancos e operações de criptomoedas
Coreia do Sul de olho em bancos e operações de criptomoedas
Menos da metade dos ICOs arrecadaram US$ 100 mil em 2018
O que será do Bitcoin Cash em 2019? Consultamos o especialista!
O que será do Bitcoin Cash em 2019? Consultamos o especialista!