SEGURANÇA E TECNOLOGIA

ONU exalta blockchain e criptomoedas: tecnologias revolucionárias

ONU exalta blockchain e criptomoedas: tecnologias revolucionárias
Tempo de leitura: 2 minutos

Em um recente relatório, a Organização das Nações Unidas (ONU) reconhece a importância das criptomoedas e da tecnologia blockchain.

Chamado World Economic and Social Survey 2018, o documento destaca que as moedas digitais representam uma nova fronteira nas finanças e que sua popularidade está em expansão.

O levantamento destaca que mais de 2 bilhões de pessoas não possuem acesso a serviços financeiros, sendo que mais de 1,4 bilhões residem em países de baixa ou média renda.

Segundo o estudo, o blockchain e as redes descentralizadas das criptomoedas podem acompanhar as transações digitais, viabilizando as trocas de valores e ajudando a desenvolver novos modelos de negócio de forma simples e sem burocracia.

Conheça a CoinBene

O documento cita como exemplo o desenvolvimento de um token chamado Climatecoin, que seria usado para a criação de um mercado global de emissões de carbono, permitindo a troca de créditos de carbono peer-to-peer e uma conexão direta com a Internet das Coisas (IoT).

Com esse token seria possível que os dispositivos calculassem suas emissões de carbono e comprassem esses créditos para compensá-las.

Outras propostas também sugerem o uso de blockchain como um livro-razão distribuído de informações do mundo real sobre registro de propriedade, identidade pessoal, procedência de alimentos e medicamentos, entre outros tipos de dados, inclusive informações que visam o combate ao tráfico de crianças.

ONU e as criptomoedas

A entidade tem fortes laços com as moedas digitais, inclusive desenvolvendo ações que incentivam o uso de blockchain e das criptomoedas para a caridade.

Em parceria com o governo de Serra Leoa, as Nações Unidas apresentaram um projeto que usa a tecnologia empregada nos criptoativos para desenvolver uma agência de crédito.

Ela é baseada em um sistema de livro-razão distribuído (DLT), apelidado de Protocolo Kiva, que foi projetado para criar um sistema nacional seguro de identificação digital para todos os cidadãos do país.

Seu propósito é enfrentar duas grandes barreiras que impedem que a população de Serra Leoa tenham acesso a serviços financeiros, que são: a falta de um histórico de crédito e identificação formal dos cidadãos.

Por meio do protocolo, pessoas sem conta bancária poderão usufruir de serviços financeiros que precisam, inclusive empréstimos, educação e serviços básicos.

Outro projeto realizado em prol da Fundo Internacional de Emergência para a Infância das Nações Unidas (Unicef) na Austrália permite que internautas ajudem na mineração de moedas digitais que serão doadas para a entidade.

Os interessados devem acessar o site The Hope Page para ajudar ajudar a Unicef a arrecadar criptomoedas que serão usadas em suas obras assistenciais pelo mundo.

Eles poderão definir quanto do seu poder de processamento será destinado à mineração.

Quanto mais tempo os usuários permanecerem no site, mais moedas digitais serão mineradas.

Venha para a CoinBene!

Só uma fintech global presente em mais de 180 países pode te oferecer um portfólio com mais de 200 ativos digitais.

Nós te ajudamos a conhecer o mundo além do Bitcoin.

Cadastre-se grátis em nossa plataforma e vamos aos negócios!

Comentários

COMPARTILHAR
Notícias relacionadas
Blockchain será usado no monitoramento de energias renováveis
Blockchain será usado no monitoramento de energias renováveis
Teresina é 1ª cidade a usar blockchain em gestão de transporte
Blockchain: A tecnologia que nem a ficção previu
Blockchain: A tecnologia que nem a ficção previu