SEGURANÇA E TECNOLOGIA

Tipos de golpes mais comuns com criptomoedas

Tempo de leitura: 3 minutos

Todos os dias vemos novas notícias de golpes com criptomoedas. Esse tipo de exposição negativa prejudica o desenvolvimento do mercado e afugenta novos investidores.

Mas algum dia já te explicaram como identificá-los?

Então fique tranquilo, pois a CoinBene está aqui para te mostrar as fraudes mais comuns e ensinar como reconhecê-las para não se tornar a próxima vítima.

ICOs “furados”

Para começar a entender, primeiro precisamos falar sobre o que é ICO (Oferta Inicial de Moedas, em português).

Conheça a CoinBene

Trata-se de uma forma de arrecadação de fundos por meio do oferecimento de uma nova moeda ou token para investidores.

O problema é que golpistas podem criar um ICO falso e desenvolver campanhas para incentivar pessoas a comprar um produto que nunca vai existir.

O desconhecimento dos novatos que sonham com ganhos astronômicos em semanas apenas por ter tokens é a principal causa dessa modalidade de fraude.

Sinais mais comuns de ICOs fraudulentos:

  • White paper copiado de outra moeda
  • Equipe desconhecida
  • Não há razões fortes para que ele seja feito
  • Pressa para conclusão do projeto

Exchanges não-confiáveis

Corretoras, casas de câmbio ou qualquer outra empresa relacionada ao universo das moedas digitais que surgiu repentinamente levanta suspeitas.

Muitas vezes, tais companhias costumam se gabar de ter mais clientes ou fundos que empresas mais antigas.

Tenha cuidado ao depositar seus fundos em companhias que não sejam absolutamente confiáveis, pois você corre o risco de perder tudo.

Outra problema é que algumas exchanges novatas podem não se manter relevantes ao longo do tempo e fazer com que seu dinheiro depositado ali seja usado de maneira indevida, causando prejuízos irreparáveis.

Portanto, fique atento.

Carteiras falsas

Com o sucesso das moedas digitais no fim de 2017, o mercado registrou um número alto de ações fraudulentas, com destaque para as carteiras falsas.

A maioria foi lançada na Play Store (loja de aplicativos do Google), uma vez que as barreiras do Android são mais flexíveis que as do iOS da Apple na hora de instalar um programa novo no smartphone.

Por isso, nunca escolha uma carteira de Bitcoin ou de outra criptomoeda aleatoriamente na loja de aplicativos, pois há chances de que ela seja um golpe.

Pesquise sobre a carteira antes de transferir seus fundos, principalmente, se há a previsão de um hard fork em breve para não se arrepender.

Esquemas de ponzi

Projetos com ofertas mirabolantes e lucros irreais em pouco tempo. Parece maravilhoso, mas raramente é. 

Propostas que encorajam o recrutamento de investidores com o objetivo de maximizar lucros é um esquema de ponzi.

Para descobrir se se trata de um golpe, faça duas perguntas:

  1. Promete retornos regulares muito maiores que os oferecidos pelo mercado?
  2. Concentra-se mais no recrutamento de novos investidores do que no produto?

Se alguma das respostas for positiva, tenha certeza de que se trata de um golpe.

Phishing

É um golpe virtual que tem como objetivo “pescar” dados e informações pessoais importantes por meio de mensagens aparentemente legítimas, mas totalmente falsas.

Os cibercriminosos copiam sites inteiros para obter informações, como detalhes do cartão de crédito ou senhas, e prejudicar a vítima.

No Brasil, a forma mais comum de aplicar o golpe é via e-mail, mas o WhatsApp já está se tornando um dos mais vetores do phishing.

Quem sofre com o roubo de informações pode ser vítima de fraude, roubo de identidade, golpes, extorsões e etc.

Para piorar esse é o tipo de golpe mais aplicado no país e a solução nunca é favorável ao indivíduo lesado.

Grupos de pump e dump

Inúmeros indivíduos se unem em grupos no Telegram, no WhatsApp e em redes sociais para coordenar ações de manipulação de preço de altcoins e assim obter lucros.

Essa manipulação pode ser feita tanto para elevar o preço (pump, bombear em português) ou reduzi-lo (dump, largar em português).

No caso das moedas digitais, a ação acontece no livro de ordens.

Saber de antemão como o mercado vai reagir te dá chance de lucrar em cima de quem não tem informações privilegiadas.

Diversas ferramentas ajudam a monitorar o aumento de volume em uma criptomoeda específica auxiliando a identificar tais esquemas.

Então se você notar algo estranho em um ativo, não custa checar a possibilidade de fraude para não sair no prejuízo.

Farsantes nas redes sociais

Outro golpe comum é a criação de contas falsas de personalidades do universo cripto ou de artistas  pedindo doações para projetos.

Imagine ver Elon Musk, CEO da Tesla, pedindo moedas digitais para colocar mais um carro em órbita.

Será que um cara rico como ele pediria Ether nas redes sociais para financiar uma ideia? Não. 

Mesmo que a conta tenha o selo de verificação, confira os dados, pois certamente algo não estará correto.

Em suma, sua vigilância e o uso de empresas confiáveis, como a CoinBene, podem te salvar de se tornar a próxima vítima de um dos golpes acima.

Comentários

COMPARTILHAR
Notícias relacionadas
Blockchain vai gerar lucro milionário para o comércio mundial; veja como
Graduação em blockchain já é realidade: veja onde
Procura por profissionais de blockchain avança em 2018
Procura por profissionais de blockchain avança em 2018