SEGURANÇA E TECNOLOGIA

Carteira anti-hack de John McAfee é invadida de novo

Tempo de leitura: 2 minutos

Em menos de um mês, a Bitfi, carteira de bitcoin anti-hack desenvolvida John McAfee, foi invadida. Quem reivindica o segundo ataque é o grupo de pesquisadores britânicos da empresa Test Partners, que testa vulnerabilidade em sistemas.

Os desenvolvedores não chegaram a acessar as moedas, mas conseguiram visualizar maneiras de alterar o código da Bitfi e enviar dados confidenciais para outros computadores.

Andrew Tierney, membro da Test Partners, afirmou no Twitter que sua empresa tem direito a segunda recompensa oferecida por McAfee no valor de US$ 10 mil. A Bitfi oferece US$ 250 mil para quem conseguir acessar as moedas da carteira.

Conheça a CoinBene

 

Tierney teve dificuldades para explicar como o processo foi realizado, mas ressaltou que tudo foi feito por vários membros da Test Partners.

McAfee tem suas dúvidas

A carteira anti-hack desenvolvida por John McAfee foi invadida pela primeira vez por um grupo de hackers holandeses. Eles também não conseguiram acessar as moedas, mas acessaram o sistema.

Um adolescente de 15 conseguiu usar o sistema da wallet para rodar um jogo de tiro, mas não teve acesso aos ativos que estavam nela.

E segundo McAfee, apenas acessar o sistema não dá direito a recompensa. O programador britânico afirmou que trata-se de uma tentativa fracassada, pois o que caracterizaria a invasão seria alguém conseguir acessar suas moedas.

Segundo os termos, o prêmio será pago apenas para quem conseguir acessar os ativos que estão na wallet anti-hack de McAfee.

A carteira sofre ameaças na web desde que foi lançada. Segundo o pesquisador de segurança Ryan Castellico, o dispositivo não passa de um telefone Android barato que não deve ser usado e é vulnerável a malwares que espionam as atividades de seus usuários, o que reduz sua privacidade.

Pelo Twitter, a Bifti respondeu o programador, afirmando que ele receberia uma recompensa de US$ 250 mil se conseguir extrair os bitcoins que estão na wallet.

 

 

A carteira é vendida por US$ 120 e em seu site a empresa garante que ela é totalmente à prova de invasão.

Comentários

COMPARTILHAR
Notícias relacionadas
Cyber Miles: o blockchain do e-commerce
Cyber Miles: o blockchain do e-commerce
TRON apresenta extensão para DApps, o TronLink
Empresa armazena DNA no blockchain do Ethereum