MERCADO

Chineses burlam proibição a moedas digitais com uso de VPNs

Tempo de leitura: 1 minuto

Os traders chineses não desistiram das moedas digitais e agora usam redes virtuais privadas (VPNs) como uma forma de contornar a proibição do governo, segundo o South China Morning Post.

De acordo com a publicação, os entusiastas de criptoativos estão usando o Tether (USDT) como um meio de negociar ativos livremente. Combinado com uma VPN, os traders podem usar corretoras registradas fora do território chinês para trocar criptomoedas por moeda fiduciária e vice-versa.

Medidas mais duras

Pequim intensificou a proibição geral as exchanges no mês passado, banindo mais de 120 sites de plataformas que tentam atender a potenciais consumidores domésticos.

O Post observa que a operação para bloquear VPNs não tem sido bem-sucedida, uma vez que traders mais experientes continuam com acesso a recursos “proibidos”.

Os entusiastas de moedas digitais têm procurado alternativas, como operações peer-to-peer, para negociar desde que as autoridades chinesas começaram a reprimir o mercado em setembro de 2017.

Conheça a CoinBene

Comentários

COMPARTILHAR
Notícias relacionadas
Desenvolvedores apresentam atualização Casper do Ethereum
Hollywood começa a filmar Crypto, primeiro filme sobre criptomoedas
Brock Pierce fala sobre negócios e filosofia de vida em cruzeiro