EDUCAÇÃO

Educação financeira: 6 erros de iniciantes em criptomoedas

educação financeira
Tempo de leitura: 4 minutos

Imagine que você esteja passeando pelo shopping e passe por uma loja que venda aquele produto ou roupa que tanto queria. Mas é final do mês e você não tem mais dinheiro para isso. O que você faz? Compra no cartão, parcelado em três vezes, afinal você merece. “Nunca se sabe o dia de amanhã”, pensa; Não compra naquele momento, vai para casa e percebe que poderá comprá-lo em três meses ou, mais ainda, se dá conta que tem outros objetivos antes a cumprir. Isso é educação financeira.

A educação financeira não consiste apenas em aprender a economizar, cortar gastos, poupar e acumular dinheiro. Vai além disso. É buscar uma melhor qualidade de vida, proporcionar uma segurança necessária e consciente para eventuais imprevistos e poder aproveitar os prazeres da vida, sem culpa. Por isso, a CoinBene apoia a 6ª Semana ENEF.

É preciso saber que não existe mágica ou fórmula milagrosa. Para se atingir a educação financeira, é necessário conhecimento, pesquisa, leitura e conversas. A melhor sensação é aquela que temos ao fazer algo sem se preocupar com o depois. Chama-se liberdade. Dê um passo a cada dia e verá, no longo prazo, resultados surpreendentes.

Educação financeira em criptomoedas

Quando o assunto são as criptomoedas, a atenção deve ser redobrada, já que se trata de alto risco e volatilidade. Mas a ideia não é deixar de lado, e sim se aprofundar um pouco mais no assunto.

Conheça a CoinBene

“Quando se trata de rotativo do cartão, Poupança, ações, Tesouro Direto, CDB e Bitcoin, grande parte da população é leiga. Não importa se você tem o Ensino Médio ou pós-graduação. Você pode ser um
Economista, mas não significa que você seja o mestre do Bitcoin. A população brasileira é carente em educação financeira”, afirma Fernando Lopes, coordenador de Growth Hacking da CoinBene.

E é verdade. Segundo relatório da ANBIMA, feito com 3.374 pessoas em todo o Brasil, 40% dos brasileiro não poupam nada por mês, pois todo o valor que entra é para pagar contas. Mais, do restante que consegue poupar algum valor por mês, apenas 10% separam um parte para Poupança, o tipo de investimento de menor rentabilidade.

“Quando eu digo que nosso público é leigo, quero dizer que independente da situação financeira ou acadêmica, o mundo financeiro e as criptomoedas são um mercado complexo e a nossa missão é educá-los dentro de nosso contexto”, completa Lopes.

Por isso, separamos um material direcionado aos iniciantes em criptomoedas:

 

A primeira ação ao decidir arrumar sua vida financeira é construir uma reserva financeira. Faça as contas dos seus gastos mensais e reserve pelo menos 6 meses acumulados para imprevistos e, como o próprio nome diz, emergências. Priorize investimentos que possa regatar a qualquer momento, como o Tesouro Selic. Esqueça a poupança.

Como dizem, “dinheiro não aceita desaforo”. Todo tipo de investimento que iniciamos, é preciso conhecer melhor sobre ele. Com as criptomoedas isso se resume ao whitepaper da moeda. A começar, todo token de confiança tem um projeto por trás e sabe o que fazer com ele no longo prazo. Acredite neste projeto e tudo será ainda mais prazeroso.

Após o “boom” de 2017, milhares de pessoas associaram criptomoedas com ganhos fáceis e rápidos. Sim, à época a valorização passou dos 1000% e pessoas ganharam muito dinheiro, mas hoje é diferente. O mercado amadureceu e estamos percebendo projetos consistentes aparecendo. Criptomoedas são ativos e de alta volatilidade, o que dá a deixa para o próximo tópico…

Como dissemos, criptomoedas são ativos de alta volatilidade, com valorizações e desvalorizações em poucos minutos – ou segundos. Estar preparado para perdas é essencial. Se você não gosta de perdas, é preciso repensar seus investimentos em cripto. Ou ler o próximo tópico.

Para quem aceita perdas, mas ainda assim quer minimizar esses riscos, o ideal é montar uma certeira diversificada. Ao construir uma estratégia neste sentido, você se previne de eventuais desvalorizações de uma moeda, já que outra pode ter o caminho dos ganhos. Aqui na CoinBene você tem 230 ativos para fazer isso, sem desculpas! “Não coloque todos os ovos na mesma cesta”, dizem. E eles têm razão.

Livros, e-books, vídeo aulas ou conversas com pessoas experientes no mercado. Todo o tipo de ajuda é, mais do bem-vinda, essencial. Procure sempre um conhecimento prévio sobre investimentos antes de entrar neste mundo. Criptomoedas são ativos do tipo variável e de alto risco. A CoinBene tem materiais para todo o tipo de público, com informações em nossas newsletter, blog, podcast e canal no Youtube.

Comentários

COMPARTILHAR
Redação CoinBene
Bem-vindo à (r)evolução do dinheiro. Sem notas, sem bancos, sem burocracia. Esse é o futuro!
Notícias relacionadas
Quais são as nações que apoiam as criptomoedas?
IoP
Descubra como funciona a mineração da criptomoeda IoP
Bitcoin Cash: você ainda vai ouvir falar desse criptoativo