MERCADO

Facebook anuncia Libra, sua criptomoeda própria

Tempo de leitura: 3 minutos

Agora é oficial: o Facebook lançou a Libra, sua criptomoeda e já tem até white paper. Depois de muitos boatos e especulações, a rede social de Mark Zuckerberg anunciou nesta terça-feira (18) seu ativo digital próprio. O MundoCripto já tinha publicado uma matéria em maio do ano passado.

Para que fique claro, a Libra nada tem a ver com a moeda britânica, apesar do mesmo nome.

A ideia do Facebook, que tem mais de 2 bilhões de perfis no mundo, é incluir pessoas que não tenham conta bancária. Segundo o comunicado, a carteira digital permitirá o envio de criptomoedas por meio do smartphone, através do WhatsApp, Instagram e Messenger, “de maneira simples e imediata, como se estivesse enviando uma mensagem de texto de graça ou a baixo custo”.

Ainda segundo o anúncio, “com o tempo, também esperamos oferecer serviços adicionais para pessoas e empresas, como pagar contas apenas apertando um botão, comprar uma xícara de café escaneando um código, ou usar transporte público sem a necessidade de carregar dinheiro ou um cartão de transporte”.

Conheça a CoinBene

Facebook e a Libra: como vai funcionar

O usuário terá que criar uma conta no serviço utilizando número de identificação, como o CPF. Com isso, poderá comprar Libras. As transações poderão ser informadas à justiça e às autoridades para prevenir ações criminosas/fraudulentas ou atender exigências legais de países específicos.

“É uma forma de afastar a Libra da reputação de outras moedas digitais como o Bitcoin, constantemente acusada de ser utilizada para lavagem de dinheiro e financiamento de atividades criminosas”, afirma o executivo David Marcus, líder do setor de blockchain do Facebook e um dos responsáveis do projeto.

A criptomoeda poderá ser usada até por quem não tem conta no Facebook. A Libra começa a circular em 2020 e permitirá transações e transferências financeiras dentro das plataformas da empresa. Portanto, você poderá enviar dinheiro a amigos por WhastApp, Instagram e Facebook Messenger, além dos parceiros do projeto. Segundo matéria do Cointelegraph Brasil, um executivo não identificado do Mercado Livre já adiantou que a empresa integraria a Libra como forma de pagamento.

“Queremos uma moeda global e uma estrutura financeira que permita milhões de pessoas a ter acesso à economia do mundo e guardar seus bens com segurança”, diz Marcus, que já foi presidente do PayPal.

Para operar as transações da moeda, o Facebook montou a Libra Association, descentralizando o projeto, marca das criptomoedas. Além disso, foi criada uma empresa subsidiária, a Calibra, que será responsável por oferecer suporte de carteira para a Libra e, por ela, será possível realizar pagamentos e enviar remessas financeiras via mensagens nos aplicativos.

A descentralização da Libra

O Facebook montou a Libra Association, que vai administrar o tesouro da moeda, criar suas especificações técnicas e promover a iniciativa. A associação terá funcionamento autônomo ao da rede social terá sede em Genebra, na Suíça.

A meta do Facebook é arrecadar cerca de US$1 bilhão (cada membro paga US$10 milhões para rodar um “node” e participar da rede) para emissão da criptomoeda que será uma stablecoin lastreada em uma cesta de moedas, incluindo o dólar norte-americano.

Inicialmente, o Facebook diz que não mira realizar lucro com taxas – para a empresa, a meta é fazer transações mais baratas possíveis. Entretanto, o Facebook não descarta a possibilidade de oferecer serviços financeiros por meio da Calibra.

“Definitivamente, vamos oferecer serviços de crédito”, afirmou Kevin Weil, vice-presidente de produto da subsidiária.

Apesar disso, David Marcus não descarta que bancos venham a se associar à iniciativa. “Mesmo que ofereçamos serviços similares no futuro, será bom, pois haverá maior competição na área financeira”, diz o executivo, que ainda vê as instituições tradicionais com papel fundamental no sistema financeiro.

Comentários

COMPARTILHAR
Redação CoinBene
Bem-vindo à (r)evolução do dinheiro. Sem notas, sem bancos, sem burocracia. Esse é o futuro!
Notícias relacionadas
Trump ataca Bitcoin pelo Twitter
Preços
Queda nos preços não afeta mercado, diz Joseph Lubin
IoP
Descubra como funciona a mineração da criptomoeda IoP