MERCADO

Irã apresenta detalhes de criptomoeda local

Irã detalhes criptomoeda
Tempo de leitura: 1 minuto

Em resposta às sanções econômicas, o Irã apresentou detalhes de sua criptomoeda nacional.

Segundo um órgão afiliado ao BC iraniano, a futura criptomoeda do país é apoiada pela Rial e desenvolvida na tecnologia Hyperledger Fabric, de código aberto, liderada pela Linux Foundation.

Ao contrário das criptomoedas descentralizadas, que são emitidas de acordo com uma fórmula matemática já estabelecida, o Rial digital do Irã será lançado com base na decisão do seu Banco Central. Ou seja, seus registros de transação só poderão ser acessados em uma blockchain privada.

Segundo a Informatics Services Corporation (ISC), o ativo seria usado como um instrumento de pagamento interbancário em uma primeira fase. Na segunda etapa, ele passaria a servir como um meio de pagamento.

Conheça a CoinBene

Para Saeed Mahdiyoun, vice-diretor do Conselho Supremo do Ciberespaço, agência que supervisiona o projeto da criptomoeda iraniana, a iniciativa tem apoio do presidente Hassan Rohani, que acredita que isso será fundamental para liberar o país da pressão do governo Trump.

Porém, o executivo não deu muitos detalhes sobre o plano de implantação do criptoativo nacional do Irã.

O vice-diretor da agência também afirmou que o BC iraniano pretende finalizar sua posição sobre o uso de moedas digitais tradicionais no final de setembro. Atualmente os ativos não podem ser usados por questões de lavagem de dinheiro.

A moeda local enfraquecida e as barreiras impostas pelo governo tem incentivado os habitantes do país a estocarem seu dinheiro em moedas digitais, como BTC e BTG. Os iranianos já gastaram US$ 2,5 bilhões para comprar criptomoedas e fugir das restrições locais.

Comentários

COMPARTILHAR
Notícias relacionadas
Site promete revelar identidade de Satoshi Nakamoto
No BS (NOBS) é novidade no portfólio da CoinBene
NOBS é novidade na CoinBene
Touro afirma que Bitcoin fechará ano em alta, mesmo com recentes quedas
Touro afirma que Bitcoin fechará ano em alta, mesmo com recentes quedas