MERCADO

Preço do Bitcoin pode estar perto do fundo do poço

Tempo de leitura: 1 minuto

A alta volatilidade do mercado de moedas digitais pode ter feito o preço do ativo mais famoso do mercado quase chegar ao fundo do poço, pelo menos é isso que um especialista da Blockchain Capital acredita.

Spencer Bogart garantiu em entrevista à CNBC que o preço do Bitcoin quase chegou ao fundo do poço. Segundo o executivo o setor está em baixa de 70%, e o Bitcoin está bem próximo do fundo, assim como as outras moedas digitais.

Para Bogart, o fluxo de notícias sobre a indústria de criptoativos é “um monte de gravetos” que serão lançados em uma futura fogueira quando ocorrer a próxima alta do mercado.

As declarações do especialista vão de encontro com as últimas declarações do investidor Mike Novogratz, da Galaxy Capital. Segundo o executivo, as criptomoedas já atingiram um valor mínimo no mês passado.

Conheça a CoinBene

Menor valor atingido

Um estudo divulgado pelo Cointelegraph indica que 54% dos investidores institucionais consideram que o Bitcoin atingiu menor valor no ano. Para eles, o ativo deve atingir US$ 15 mil até o final de 2019.

Tom Lee, da Fundstrat, também demonstra otimismo quanto ao futuro do Bitcoin. O entusiasta afirmou que a moeda poderia valer até US$ 25 mil até o final do ano. Porém, Lee revisou sua previsão e afirmou que o Bitcoin poderia terminar o ano explosivamente mais alto, citando uma relação entre mercados emergentes e a moeda.

No momento, o Bitcoin (BTC) é negociado a US$ 6,4 mil, acumulando uma desvalorização de 5,6% nos últimos seis meses.

Não conhece muito o mercado?

A CoinBene te ajuda! Confira nosso blog e nossas redes sociais para descobrir o mundo além do Bitcoin. Temos mais de 150 ativos disponíveis com as melhores taxas do mercado. Cadastre-se já!

Comentários

COMPARTILHAR
Notícias relacionadas
Dock e a conectividade máxima da internet
Cartão FuzeX troca BTC por BCH como moeda base
Presidente do Banco Central afirma que criptomoedas têm riscos
Presidente do BC afirma que criptomoedas têm riscos