EDUCAÇÃO

Saiba o que é soft fork e hard fork e por que eles são importantes

Tempo de leitura: 2 minutos

Novos termos surgem a todo momento no mundo das criptomoedas.  O problema é que, essas expressões não são muito fáceis de se entender. Veja a palavra fork, por exemplo.

Mas antes de se desesperar, acalme-se: nós, da CoinBene, vamos te ajudar a compreender tudo isso.

Entendendo um fork

Antes de qualquer coisa: quando ocorre um soft fork ou hard fork?

Resumidamente, sempre que for necessário alterar as regras de consenso da rede.

Conheça a CoinBene

Um soft fork altera o protocolo da rede de uma moeda digital, restringindo as regras de consenso aplicadas pelos nodos (full nodes e mineradores).

Essas mudanças são compatíveis com versões anteriores do Core da criptomoeda e precisam de consenso de toda a comunidade.

Ou seja, os nodos antigos do Core vão passar a aceitar blocos criados por nodos novos que atuarão seguindo as novas regras.

Para ficar mais fácil, vamos usar o Bitcoin como exemplo: 

Supondo que o tamanho do blocos seja alterado de 1MB para 0.5MB.  Essa regra passa a ser mais restrita que a atual, ou seja, seria considerada um soft fork.

Blocos minerados pelos nodos com o software de 0.5MB serão aceitos pelos nodos que ainda utilizam o software com a regra antiga (que não foram atualizados para 1MB).

Nesse caso, apenas os mineradores terão que atualizar a plataforma.

Os usuários podem continuar a executar nodos antigos, que agora passarão a aceitar os novos blocos que os mineradores encontrarem.

E o hard fork?

Um hard fork é uma alteração no protocolo, afrouxando regras aplicadas pelos nodos, atualizando-as para o novo conjunto de normas.

Dessa forma, um bloco que antes era considerado inválido passa a ser aceito por nodos atualizados, se os mesmos seguirem essas as novas regras.

Quando um bloco é alterado de 2MB para 4MB, essa regra fica mais flexível do que a atual. Portanto, essa alteração seria considerada um hard fork.

Blocos minerados pelos nodos com o software de 4MB não são aceitos pelos nodos não atualizados.

Logo, hard forks são incompatíveis com versões anteriores do Bitcoin Core por implementarem regras menos rígidas.

Eles podem ou não ser um consenso de toda a comunidade.

Caso seja um consenso geral, a partir do momento do fork, as novas regras passam a ser válidas e teremos apenas uma única moeda.

No contrário, uma nova moeda é criada com um blockchain separado como, por exemplo, o Bitcoin Cash.

Os múltiplos forks no blockchain do Bitcoin são importantes, pois ajudam a dar mais liquidez ao mercado.

Todos os forks ajudam a renovar o mercado com alguma inconsistência existente em relação aos ativos digitais.

Porém, eles não devem ser usados para trazer mais confusão para um mercado que ainda luta por aceitação.

A norma a ser seguida em ambos casos é garantir a segurança das transações para aumentar a adoção de forma rápida. 

Assim, conclui-se que, as movimentações nas redes podem ser positivas desde que sejam feitas com planejamento.

Comentários

COMPARTILHAR
Notícias relacionadas
moedas estranhas
Criptomoedas com nomes estranhos
O que é o Super Bitcoin?
Ronaldinho Gaúcho lança própria criptomoeda