MERCADO

Times de futebol apostam nas próprias criptomoedas

Times de futebol apostam nas próprias criptomoedas
Tempo de leitura: 2 minutos

*Texto publicado em 18/11/2018 – Atualizado em 19/03/2019

As criptomoedas estão atuando em diversos campos, inclusive nos de futebol! Cada vez mais clubes brasileiros e estrangeiros trabalham no desenvolvimento de seus criptoativos.

Equipes tradicionais do Brasil e da Europa apostam no lançamento de suas criptomoedas. Confira aqui alguns times que já entraram nessa onda:

Criptomoeda do PSG

O ativo do Paris Saint-Germain, clube de Neymar, será desenvolvido pela Socios.com, empresa com sede em Malta, impulsionada pelo empreendimento de blockchain esportivo chiliZ.

Conheça a CoinBene

Com a parceria, o clube francês lançou um Fan Token Offering (FTO) que oferece vantagens para seus torcedores.

Os detentores do ativo terão credenciais VIP, poderão escolher qual uniforme o time vai usar, escalar a equipe em amistosos, entre outros benefícios exclusivos.

Marc Armstrong, diretor de parcerias do PSG, afirma que o clube está determinado a aproveitar as oportunidades que a criptografia pode oferecer.

De acordo com o executivo, a tecnologia terá muito impacto nas estratégias do PSG e no relacionamento com os torcedores do clube.

Moeda virtual da Juventus

Não é o da Mooca, bairro de São Paulo, e sim o clube italiano onde joga o craque português Cristiano Ronaldo.

O ativo também será desenvolvido pela Socios.com e vai se chamar Juventus Official Fan Token.

Quem tiver o criptoativo poderá participar de decisões sobre o clube, nos mesmos moldes da parceria do PSG.

Token do Avaí

O time de Santa Catarina trabalhou no lançamento de próprio token em parceria com as empresas SportyCo e Blackbridge Sports.

Por meio de um ICO, o clube pretendia arrecadar recursos para lançar o Avaí FC Token, ativo digital para financiar o clube.

O foco era deixar o Avaí com condições de permanecer na Série A do Brasileiro e se classificar para a Libertadores de 2020.

Porém, o valor arrecadado nessa ICO não foi o mínimo estipulado e a iniciativa não prosperou. Os investidores foram restituídos.

Criptomoeda do Fortaleza

O atual campeão da Série B do Brasileirão lançou a LeãoCoin, ativo digital desenvolvido pela plataforma Footcoin.

Donos do ativo poderão comprar ingressos e produtos licenciados, tudo de maneira rápida e segura, por causa da tecnologia blockchain.

A LeãoCoin também pode ser usada para pagamentos com um cartão pré-pago em parceiros, como aplicativos de carona e outros que estão em negociação.

Moeda digital do Atlético-MG

O clube de Belo Horizonte apresentou a GaloCoin, também lançada em parceria com a plataforma Footcoin.

Por meio de uma plataforma exclusiva para atleticanos, será possível usar o ativo para compra de ingressos, produtos oficiais do clube, entre outros itens,

Serão emitidas até 1 bilhão de GaloCoins. Elas já podem ser adquiridas no site oficial, ao custo de R$ 1 cada.

Criptoativo do Corinthians

O alvinegro da capital paulista anunciou o lançamento da Timãocoin, moeda digital que também foi desenvolvida em parceria com a empresa Footcoin.

A criptomoeda do Corinthians foi criada para promover integração entre o time, torcida e parceiros.

Na plataforma da Timãocoin, torcedores terão acesso a produtos e serviços de parceiros, além de realizar operações financeiras com vantagens especiais.

Além disso, os corintianos poderão contribuir com projetos especiais desenvolvidos pelo clube.

Cada Timãocoin terá o valor fixado em R$ 10. Inicialmente elas serão comercializadas apenas com bitcoins.

Para comprá-las, o interessado terá que se cadastrar no site do projeto.

Criptomoedas no futebol

Além dos clubes, atletas consagrados já marcaram os seus gols nos campos do blockchain.

Craques como Ronaldinho Gaúcho e o colombiano James Rodríguez já possuem suas próprias criptomoedas.

Além deles, o holandês Wesley Sneijder é um dos embaixadores da vSport Coin, ativo que está no portfólio da CoinBene!

Comentários

COMPARTILHAR
Redação CoinBene
Bem-vindo à (r)evolução do dinheiro. Sem notas, sem bancos, sem burocracia. Esse é o futuro!
Notícias relacionadas
Aston, plataforma revolucionária de autenticação de documentos
Criptomoedas não são escaláveis para se tornar dinheiro, diz BIS
criminosas
Uso de criptomoedas em atividades criminosas cai 80% desde 2013